//Nova tendência: intercâmbios para atletas! Cursos acadêmicos e treinos com campeões olímpicos.

Nova tendência: intercâmbios para atletas! Cursos acadêmicos e treinos com campeões olímpicos.

O que profissionais, já inseridos no mercado, têm buscado em um intercâmbio?

Os grandes segredos dos profissionais bem sucedidos são pioneirismo, capacidade de anteciparem tendëncias, se manterem atualizados, possuírem networking (redes de relacionamentos) e oferecerem diferenciais competitivos. Até há pouco tempo os profissionais brasileiros enfrentavam apenas a concorrencia local, com alguns poucos casos de altos executivos estrangeiros vindos das matrizes de multinacionais para trabalharem no Brasil.

Com a crise dos últimos anos na Europa e desaceleração da economia dos Estados Unidos, houve tremendo aumento da competitividade no mercado brasileiro, com a chegada de milhares de técnicos e profissionais estrangeiros principalmente dos setores de consultoria, marketing, mineração, petróleo, gás e TI, engenharia e medicina. Até mesmo em universidades de Minas Gerais percebe-se grande número de estudantes estrangeiros, o que não era comum há alguns anos.

A globalização mundial é crescente a cada dia, e não se pode negar que profissionais e empresários tem sentido a premencia de se manterem informados e “conectados” em tempo integral com mudanças dos mercados, avanços sociais, concorrencia internacional e principalmente com as novas tecnologias, para se capacitarem a atender clientes e consumidores a cada dia mais informados e exigentes.

Consumidores modernos contam com total liberdade de escolha e acesso, através da internet, a produtos e serviços de todo o mundo. Não existem mais as “reservas de mercados” e apenas os profissionais melhor preparados “sobreviverão” no super competitivo “novo mundo globalizado”. É por esta razão que as grandes multinacionais no Brasil tem considerado como critério de desempate em processos seletivos a experiëncia internacional (candidatos que tenham feito cursos ou trabalhado no exterior tem mais chances de obter a colocação na empresa).

No passado, os cursos no exterior visavam apenas o aprendizado de idiomas por jovens. Esta época passou, e atualmente profissionais de todas as idades procuram otimizar o tempo que passarão no exterior. Procuram intercambios através dos quais poderão, além de aperfeiçoar o idioma, fazer contatos importantes, criar parcerias comerciais, visitar empresas de sua área profissional, conhecer novas tecnologias, acessar modelos diferenciados e desenvolver propostas inovadoras que poderão enriquecer seu Curriculum, incrementar seus negócios, ampliar sua “visão de mundo” e alavancar sua atuação profissional.

Aspecto interessante que temos observado neste último ano é o aumento da procura por cursos em universidades bem posicionadas nos Rankings Academicos mundiais. Profissionais bem informados sabem que Certificados de cursos de idiomas, de programas especiais de curta duração, graduações e pós graduações em uma das 500 Top Universities do mundo vão agregar ainda mais valor ao seu histórico e qualificações.

Quais as possibilidades oferecidas atualmente pensando nesse público? (Queria que me falasse de forma mais geral, não se restrigindo aos programas que representa)

Como é a procura por países de lingua não inglesa, no caso de profissionais envolvidos com empresas multinacionais de outros paises?

O primeiro passo para o profissional é adquirir fluencia no inglës, pois é este o idioma que vai inicialmente possibilitar o seu acesso as tecnologias de ponta, as comunidades academicas e aos centros de referencias mundiais. Todas as tecnologias e pesquisas relevantes, mesmo que advindas de países onde o idioma oficial não é o ingles, serão rapidamente traduzidas para o ingles.

Existem na Inglaterra escolas de idiomas específicas para estudantes acima de 25 anos, propositalmente criando ambiente propício para que profissionais de vários países se encontrem, troquem experiëncias e até mesmo iniciem desenvolvimentos de projetos em cooperação.

A grande tendencia atual, que tem tido retornos altamente positivos, são os programas especiais de curto prazo no Canadá. Envolvem tres semanas de visitas e indústrias e empresas de vários setores, como minerações, empresas de tecnologia, telefonicas, logística, indústrias de alimentos, cervejarias, laboratórios farmaceuticos, encontros com comentaristas economicos, prefeitos locais, profissionais canadenses. Este tipo de programa proporciona contato com enorme volume de informações, profissionais e possibilidades de desenvolvimentos de parcerias comerciais em país que vem apresentando surpreendente crescimento economico.

Para profissionais da área de saúde, programas de visitas e observação em centros de excelencia são comuns em todo o mundo. O foco principal é equipar os profissionais de saúde com instrumentos modernos, que são comuns em países que investem bilhões de dólares em pesquisas e inovações. Estados Unidos e Canadá são referencias em saúde pública, prevenção e políticas comunitárias. São países vanguardistas, que devem ser observados de perto pelos médicos, enfermeiros, farmaceuticos e profissionais de saúde brasileiros.

Os educadores, diretores de escolas e universidades, e gestores públicos tem especial interesse na Finlandia, que é o país da excelencia em sistemas de educação pública. Canadá também vem se destacando com as políticas de tolerancia zero ao Bullying, e por empregar os maiores investimentos mundiais, proporcionalmente ao PIB, no setor de educação.

A preferencia dos engenheiros, industriais e ambientalistas atualmente deve ser pela Alemanha, mas a complexidade do idioma tem dificultado o crescimento deste destino.

Para profissionais de Aviação, setor no qual a fluencia no ingles é obrigatória e determinante para promoções, existem cursos específicos na Inglaterra e na Irlanda.

Para os universitários e profissionais que já possuem nível de ingles avançado, e dispõem de pelo menos dois meses, o ideal são os estágios (não remunerados) em suas áreas profissionais nos Estados Unidos, Canadá ou Austrália. Os estágios proporcionam incrível desenvolvimento na carreira. Temos casos de estagiários que foram convidados, após o término do estágio, a permanerem nas empresas estrangeiras como contratados.

A cidade de Vancouver no Canadá tomou o lugar de Hollywood como centro de referencia em cinema. É onde a maioria dos filmes são produzidos atualmente. Artistas, cineastas, músicos e produtores de filmes podem fazer cursos, com durações de uma semana a um ano, em Vancouver.

Existem programas de férias, a partir de duas semanas, que aliam o aprendizado de ingles com iniciação em fotografia, teatro, dança, música, artes visuais, práticas de negociações, treinamentos para diplomatas com simulações das reuniões da Organização das Nações Unidas, no Canadá e nos Estados Unidos.

Temos observado crescimento significativo de demandas de empresas para organização de cursos “sob encomenda”, para grupos de executivos com foco determinado e período de tempo específico. Hoje é possível organizarmos tais cursos principalmente na Austrália, Estados Unidos, Inglaterra e Canadá, até mesmo com traduções simultaneas quando necessário.

O que o intercâmbio agrega para esse tipo de intercambista?

É impressionante observar o peso que tem um intercambio para criar diferenciais, alavancar o Curriculum profissional e o crescimento pessoal.

Escutamos frequentemente depoimentos de intercambistas que receberam reconhecimento imediato ao retornarem de cursos no exterior. Promoções, aumentos de salários, ofertas de cargos em outras empresas são uma constante nos retornos que temos recebido.

Brasileiros tem características próprias que são altamente valorizadas no exterior. São vistos como criativos, comunicativos, destituídos de preconceitos, dispostos a aprender, cheios de energia e bem humorados no ambiente de trabalho, e por isto as estatísticas de brasileiros convidados a trabalhar no exterior após um intercambio tem aumentado a cada dia.

Sabemos que o Brasil, como todos os países em desenvolvimento, tem ainda muito a aprender com os países que já chegaram a altos níveis de desenvolvimento social, economico, humano, segurança, educação, saúde pública. É altamente gratificante para um intercambista brasileiro poder viver, mesmo que por pouco tempo, em alguns países onde é notável o respeito entre as pessoas, a preservação de valores éticos e morais, a defesa da igualdade humana e social.

Intercambistas despertam para a realidade de que nossa cultura brasileira não é a regra, e nem é a melhor do mundo. Descobrem o relativismo cultural. Desenvolvem senso crítico sobre as diferenças entre os países, e serão capazes de posteriormente PROMOVER MUDANÇAS POSITIVAS EM SUA VIDA, EM SEU AMBIENTE PROFISSIONAL E EM SEU PAÍS.

Um dos pontos altos do intercambio é a oportunidade de se hospedar com famílias locais. É uma das raras chances de se poder observar in loco o estilo de vida, cultura, festividades, alimentação e padrões em outros países. Ao se enfrentar o contexto novo de uma estadia longe da família, dos amigos e das rotinas do ambiente habitual, muitos preconceitos, estereótipos e cliches são automaticamente eliminados.

Em termos emocionais, a satisfação da conquista de um novo idioma e conhecimentos profissionais, a segurança de estar preparado para se comunicar e o orgulho de ter superado obstáculos e padrões, aumentam consideravelmente a auto confiança do intercambista, que é beneficiário direto de seu progresso. Esta percepção não é imediata, pois o intercambista começa naturalmente a se comparar com os profissionais do país onde está estudando, e não mais com os colegas brasileiros.

Há um momento mais adequado para investir em intercambio? Ou o interessante é experimentar diferentes opções ao longo da vida?

Temos recebido a cada dia mais consultas de pais de crianças, interessados em proporcionar aos filhos algo mais do que passeios em parques no exterior e compras. Houve grande evolução na capacidade dos pais de anteverem as necessidades de criação de diferenciais competitivos e investirem em educação de alto nível para o futuro de seus filhos.

A Ciencia da Linguística constatou que as crianças expostas a um segundo idioma antes dos doze anos de idade, além de aprenderem com grande facilidade e rapidez, serão capazes de falar o segundo idioma sem sotaques, como os nativos.

Intercambios de curto prazo nas férias (duas a seis semanas) para crianças acima de dez anos é investimento fantástico, pois os pais vão economizar com os cursos de idiomas tradicionais no futuro. O custo benefício é enorme. Estes programas de férias irão também preparar as crianças para futuros intercambios, mais longos, de um semestre ou um ano, quando chegarem ao Ensino Médio.

A nova geração já sabe que deverá falar um terceiro idioma, e temos recebido muitas consultas a respeito de cursos de alemão, espanhol e mandarim. Nascidos em um mundo a cada dia mais globalizado, é natural que as crianças vejam como natural a mobilidade entre os países e culturas. Quanto mais cedo iniciar no mundo dos intercambios, maiores serão suas competencias de socialização, comunicação e aprendizado.

Os intercambios no exterior são aceitos pelo MEC como válidos para o semestre ou ano letivo do Ensino Médio, quando o estudante retorna a escola no Brasil.

Temos obtido resultados fantásticos com com destinos inovadores como Noruega e Dinamarca, onde 85% da população fala ingles fluentemente, e os indíces de qualidade de vida são excepcionalmente altos, de acordo com as Nações Unidas. Os países mais procurados pelos brasileiros para semestres ou anos letivos do Ensino Médio continuam sendo tradicionalmente Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Suíça.

O sonho dos cursos universitários, mestrados e doutorados no exterior tem se tornado a cada dia mais viável, através dos programas de bolsas de estudos governamentais como o Ciencias Sem Fronteiras, que incluem até mesmo seis meses iniciais de estudos do idioma na universidade escolhida. Dos países parceiros, Canadá tem recebido o maior número de bolsistas (aproximadamente 2.000 estudantes desde a criação do programa).

Por | 2017-09-15T00:50:46+00:00 7 de maio de 2017|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário